quarta-feira, 27 de agosto de 2008

O Anzol

Os pescadores partem na embarcação
à conquista de um porto seguro
Certos de que não é ilusão
pescar pão para o futuro

A dor da pobreza sulca o rosto
da gente que vive navegando
Quando regressam já é sol posto
todos o mar leva não se sabe quando.

Publicado

11 comentários:

Fernanda disse...

Vida dificil a dos pescadores,...e tantas vezes ignorada.

Bonito, teres escrito um poema a pensar nestes homens, corajosos e cheios de valor.
O meu Avô, era um homem do mar,...o meu pai, embora nunca fosse pescador,...também foi um homem do mar.

Gostei.

Verónica disse...

Não é fácil da vida do mar. Lembro-me da "tempestade" - refiro-me ao filme e na realidade estes homens correm risco de vida.

OUTONO disse...

Mar imenso de sal e pão guardado
Neste mundo de luta por ganhar
Mar imenso com amor moldado
Onde se navega na ânsia de voltar.

By Outono - 1998
Beijinho.

Verónica disse...

Obrigada pela quadra a rimar.
beijinho

lua prateada disse...

Vida bem dura a desses homens e dessas mulheres esperando ,sem saber se um dia não mais chegarão...
Beijinho prateado com carinho

SOL

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Verónica, belo texto sobre a vida difícil de pescadores...Espectacular...
Beijo

Verónica disse...

Um beijinho de agradecimento à lua prateada.
Outro beijinho para o chana

Smile disse...

Verónica,
Esse poema é uma grande homenagem a esses Homens do Mar tantas vezes esquecidos… por vezes mal nos lembramos que, quando estamos a saborear o peixe na nossa mesa, há alguém que supera tempestades para ganhar o pão do dia a dia e colocar o peixe na nossa mesa.
Bjs

Verónica disse...

obrigada smile pelas tuas palavras!
beijinho

Parapeito disse...

vida difícil sim....quantas esperas...quantas lágrimas na praia...
por isso o mar é salgado...

Verónica disse...

São as lágrimas que tornam o mar salgado! Gostei dessa.