sábado, 13 de setembro de 2008

Brandi Carlile - The Story




A história de Sua Eminência

Sua Ecelência
Roto e Esfarrapado
Ia descendo as vielas
Com a maior Vaidade.
Sustentava Títulos Nobilíssimos.

Sonhava com navios afundados
Ouro
Prata
Marfim
Guerras Conquistadas
Cavalos e membros mutilados
Sangue e corações Despedaçados

Sua Excelência ria com ironia
de tudo quanto via

A Cabeça altiva
O Olhar mentia

Trazia a espada à cinta
para que não lhe cuspissem na cara
A barba crescera esgrouviada
A alma apagada

Os séculos passaram
Sua Excelência deprimiu-se
Esgotado do "Faz de Conta" consumiu-se
Rendido
Uma manhã cortou a garganta
com a própria lança.

Publicado

8 comentários:

Fernanda disse...

.:)))
Uma história é sempre uma história,...trágica ou feliz, quase sempre,...é uma história de amor.
E, eu gosto de histórias de amor felizes.

De preferência, sem eminências..:)))

Verónica disse...

Quem te disse que uma história é quase sempre de amor?!
Ah! Tu gostas de histórias de amor felizes.Isso é outra história.Lol
Eu também concordo que seja preferível...a realidade é bem diferente. Tudo mudou com o Titanic!Ficam as memórias!Lol
As eminências existem amiga. Quer queiras ou não.O fosso entre ricos e pobres é cada vez maior! Até quando?Não sabemos!Terá de ser sempre assim?
Bom fim de semana

O QUATORZE disse...

Bom dia
Muito bonito
Amizade
LUIS 14

OUTONO disse...

No meu reduto, li esta "história", e pensei duas vezes na sua cadência...

Da primeira, uma "rima" crua, da segunda um "gosto" de entrelinhas...

Voltei a meditar, e encontrei um sentido...uma interrogação...um mistério...poderás não desvendá-lo...mas que é apelativo...não duvido.

Beijo...e obrigado pelo comentário.

Verónica disse...

Obrigado Luís!
Beijo.

Adorei o teu comentário Outono!
Beijo.

Verónica disse...

Nota: Peço desculpa pelas más condições deste vídeo. É desagradável ouvir uma música aos solavancos!Especialmente uma voz rouca e sexy!lol
Mas na falta de outro coloquei este.
Se alguém não compreender a relação entre á música e o poema faça o favor de questionar.
Sempre ao dispor!
Um abraço

Parapeito disse...

lolol..isso de ouvir uma musica aos solavancos...pode nem ser assim tão mau :))
Gosto desta musica e tal como a Fernanda gosto de histórias de amor com ...e foram felizes para sempre...
E é bem verdade, as diferenças são cada vez maiores...o sol afinal quando nasce...a uns esturrica a outros deixa dourados...

Dias com brisas mansas :))

Verónica disse...

Adorei o teu comentário ! Achei imensa piada!Tá demais menina!lollll
Parapeito não existe nada para sempre! Eu adorava que fosse! isso só nos contos de fadas, dos príncipes e das princesas. Era uma vez...
Venham as brisas mansas...lollll