quarta-feira, 4 de março de 2009

Momentos...

Coloquei sobre os meus ombros as asas de um pássaro... enfiei nos olhos a saudade da Primavera. Sonhei com a terra perdida... Flutuei sobre as nuvens macias e deixei-me afundar.
Na minha viagem rasguei céus de ilusão, enfrentei ventos ciclónicos!
E procurei o inatingível ...
Subitamente toquei uma estrela e iluminada por ela subi ,subi...
Foram noites e dias sempre a bater asas...vislumbrei o inexistível, o fantástico, o inimaginável...

Um alvorecer regressei ao casulo. A amargura apertava a minha garganta e eu sentia dificuldade em respirar...
No silêncio de mim , observei uma folha que trémula rodopiava melancolicamente mesmo em frente aos meus olhos escancarados. Mais além havia um pássaro que chorava copiosamente por querer alcançar a paz de um lugar divino...e tal como eu sentia-se totalmente errante.


Publicado em 5/12/94

16 comentários:

clic disse...

Podias dizer ao pássaro que a Primavera está quase aí? :)

Pedrasnuas disse...

Quem sabe...Clic,não é?

clic disse...

Quem sabe?!... Mas não é no dia 20 que chega? Lá por volta das 11 e tal? :)

Pedrasnuas disse...

Não tenho a certeza da hora,importa que chegue e traga todos os perfumes numa só flor...

Anónimo disse...

:)

VIVA A PRIMAVERA(!) mesmo que haja chuva com sabor de lágrima...

Tudo mais é um beijo em flor,
no meio de um abraço de amor... salpicado de cor.

Bah em pleno voo!

Pedrasnuas disse...

Anónimo quanta inspiração...!!!

Maria Clarinda disse...

MARAVILHA de texto.
Parabéns

Pedrasnuas disse...

Viva Clarinda! Obrigada

Anónimo disse...

Muitos beijos em flor
E muitos abraços de amor
Trás a PRIMAVERA
Sim senhor!

A Anónima tá cheia de razão

Pedrasnuas disse...

Já são duas anónimas com razão!!!

Parapeito disse...

tanta tanta inspiração..e ainda nao chegou o calor :))

Gostei de ler Verónica****

Pedrasnuas disse...

Parapeito esquece a Verónica,sim?loll...a inspiração surge em qualquer altura do ano...Exista mote!!!

Volta sempre

simplesmenteeu disse...

Quantos céus azuis atravessamos quando nos julgamos pássaro... Quantas trovoadas, ciclones, fúrias... e tudo para tocar uma estrela, construir um castelo nas nuvens, saborear e sentir o perfume dum paraiso imaginado...

As mãos regressam vazias e as asas esfarrapadas...

Lindo este teu poema e a tua forma de viver e sentir as coisas e os sentimentos. Gostei muito.

Um beijo

Pedrasnuas disse...

Simplesmente eu

Haja coragem e força para enfentar tantas "batalhas" e "terramotos"

As mãos regressam vazias e as asas quebradas,quase sem alento,contudo há um vulcão para acontecer...

Beijo doce

simplesmenteeu disse...

Muito bonitos estes "Momentos", tão bonitos que tive saudades e vim reler.

"as mãos regressam vazias e as asas esfarrapadas"...
este é sempre o fim de um voo em busca de "um lugar divino".

a verdade de todos os lugares...

um beijo

Pedrasnuas disse...

É UM FIM DE UM VOO...EM BUSCA DO TAL LUGAR...

UM BEIJO