sábado, 30 de maio de 2009

O mensageiro de quatro vértices

- Espera...- pede ele - Já te conto tudo! Tem calma...olha eu pertenço ao mundo da Geometria. Nós somos primos em segundo grau das matemáticas e em terceiro das Físicas.
O meu planeta decidiu enviar um mensageiro à terra. Fui eleito por ser um dos mais jovens. ..por não possuir ainda as complexas programações sigilosas da Geometria. Sem a nossa existência, os humanos, neste momento seriam ainda primatas. Estamos conscientes que somos objecto de estudo para o vosso benefício. Os homens julgam-se donos do Universo, inventores afamados, senhores do espaço...No entanto a nossa história contradiz tais factos, porque nós andamos a fazer precisamente o mesmo, a estudá-los. - enquanto discursa a vozita lembra uma nota da escala musical rouca. - Sabemos que possuem alta tecnologia, muito bem apetrechada que consegue captar através da computadorização os nossos programas e não sabemos para a aplicar em que situações...talvez perniciosas para a vossa raça...
- Sinceramente não estou a compreender...- corto bruscamente- nem a razão da tua vinda, nem a escolha da minha pessoa!
- Tu és ansiosa! Já passo a essa questão. - tranquiliza-me num tom baixo - Através de análises muito bem conduzidas e elaboradas sabemos que o vosso planeta estás prestes a destruir-se. Chegamos a esta conclusão com o auxílio das matemáticas. O nosso trabalho é árduo e de equipa.
Estamos todos divididos na galáxia, contudo, entramos em contacto por radiação, telepatia e transferência de energia. Em poucos anos as aves, as florestas, os animais e outras espécies, incluindo o própria espécie humana vão desaparecer.
Este problema atinge as matemáticas, as geometrias e as físicas. Os nossos mundos estão a desagregar-se . A poluição cresce a um nível diabólico. A contaminação é geral, cuja evaporação se projecta no espaço destruindo a camada de ozono. Agora atinge-nos a nós...
Assistimos ao envelhecimento prematuro de rectas, de planos,de ângulos, de sombras, de espelhos e de perspectivas. Os pontos não se destinguem a anos de luz. Os quadros ,os triângulos, as esferas, os paralelipípedos e outras formas chocam-se e machucam-se partindo os vértices porque as energias por onde seguem cruzam-se devido à falta de oxigénio
As matemáticas contactaram-nos via fax e a mensagem foi assim: " O conjuntos dos números naturais está misturado com conjunto dos números inteiros absolutos e inteiros relativos.
As operações normais e simples nascem com deformações...As raízes quadradas e as equações apanharam alergias e foi necessário isolá-las.
A Física perdeu a dinâmica do sistema solar. A lei da atracção universal de Newton encaminha-se para o fim . As energias , as cargas eléctricas não resultam com a rapidez desejada. O planeta geométrico entrou em estado de alerta máximo. Segundo os cálculos mais ou menos aproximados da realidade o nosso tempo está a esgotar-se"

Extraído do conto " O mensageiro de quatro vértices"
publicado em 97 tendo recebido a Menção Honrosa no Concurso Mérito Literário (Tribuna Pacense) em Abril de 2003

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Fim de tarde

PRECISO DAS TUAS MÃOS PARA AQUECEREM AS MINHAS

segunda-feira, 25 de maio de 2009

TU SABES QUE SIM...

FUNDEM-SE NOSSOS SENTIMENTOS...
ESCAPAM DE NOSSAS BOCAS ALGUM RUMOR.
JÁ TIVEMOS DOCES MOMENTOS...
GEMIDOS SOLTOS EM MANHÃS D' AMOR.

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Era uma vez...

Olhos nos olhos...
Esses olhos beijo
A ternura acende
um frenético desejo

Quadra simples
esconde mistérios...
Amor por despontar
livro de encantar...

Desprende-se o rio
Desprende-se o fogo
Mulher com cio
Sol radioso...

Gemido enloquecido
Amor verdadeiro
nascido e perdido
mas há-de ser o primeiro!!!

terça-feira, 19 de maio de 2009

Uma flor

Teu olhar profundo e sério
esconde pétalas desfolhadas
Veio pousar em mim
de persianas cerradas...

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Alvoroço

Um mundo alucinado!
uma existência perdida
nunca sei de que lado
está essa mesma vida

Agulhas espetam-se...
no firmamento
t r a n s p o r t a m dentro
o sopro do vento

Um rasgo de solidão
parte sem dó a luz
Ergue o rosto a oração
lentamente escorrega da cruz.

PUBLIC EM 97

domingo, 10 de maio de 2009

sábado, 9 de maio de 2009

Podes ir mas...

Vai por aí...
E se por acaso tropeçares
em fragmentos
magoados...
rasgados...
esfiapados...
desbotados...
Fazes-me um favor?
Levanta-os do chão...
toma atenção...
e um certo cuidado
Faz-me falta para completar
a minha nudez maltratada


Public em 95

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Cântico das Letras...

Escrevi alguns versos de Amor
também aprendi a cozinhar galinhas...
Um fogo ateou no meu peito calor
como em certas mulheres finas...

Não me ensinaram a plantar uma árvore
nem dei à luz um filho
nem por isso me sinto menos MULHER
Mas desejo escrever um livro...

Se concretizar apenas um sonho ...
de levar um canto às letras...
de traçar nas folhas o meu nome
morrerei num deleite risonho

Publicado em 91

domingo, 3 de maio de 2009

confissão

Mãe

no fim deste dia...
escuta o meu desabafo...
Estou aqui ,na droga de um quarto alugado
Ó mãe que tormento!
Dói-me tudo por dentro...
Sinto fome dos teus carinhos
Sinto fome das tuas preocupações
Sinto fome das tuas advertências
Mas que raio de frio é este?!
Já sorvi uns goles de Aguardente
É bem no fundo de mim que enregelo...
e este nó...
ameça-me o peito.
O trabalho é duro e absorve-me todo
A porcaria do tempo
assusta-me , estou mais velho
irreconhecível...
Quero viver ainda !!!
Tu sabes o que isso significa?
Olha, nem eu sei...
Ando para aqui...
Confesso-te minha mãe
que sinto medo
muito medo
de perder a cabeça...
E cometer uma loucura...
Às vezes queria morrer!!!
outras matar...nem sei bem....
Matar-me sem dó nem piedade
Matar o outro ...o meu outro, o malvado
o idiota chapado
Não te preocupes mãe...
eu engulo esta raiva, esta dor...tanto faz
Vou segurar este pesadelo de vida
até onde as forças me permitirem...
Se ao menos eu não tivesse crescido
mil vezes ficasse preso no teu regaço...
Como eu compreendo agora
a desgraça de se ser adulto!
Uma desgraça minha mãe...

Publicado em 2000

sexta-feira, 1 de maio de 2009

O esforço de quem trabalha


O protesto

Revoltada?!

Revolucionária?!

NEGO-ME

A ceder
A calar
A admitir
A permitir...

Outra vez

Revoltada?!

Revolucionária?!

Sim, sou!

Não é Democrático?

É um direito

MEU

TEU

DELE

De TODOS

Façam manifestações...
Alguém terá de escutar a nossa voz

A VOZ DO POVO!!!

Já publicado