domingo, 3 de maio de 2009

confissão

Mãe

no fim deste dia...
escuta o meu desabafo...
Estou aqui ,na droga de um quarto alugado
Ó mãe que tormento!
Dói-me tudo por dentro...
Sinto fome dos teus carinhos
Sinto fome das tuas preocupações
Sinto fome das tuas advertências
Mas que raio de frio é este?!
Já sorvi uns goles de Aguardente
É bem no fundo de mim que enregelo...
e este nó...
ameça-me o peito.
O trabalho é duro e absorve-me todo
A porcaria do tempo
assusta-me , estou mais velho
irreconhecível...
Quero viver ainda !!!
Tu sabes o que isso significa?
Olha, nem eu sei...
Ando para aqui...
Confesso-te minha mãe
que sinto medo
muito medo
de perder a cabeça...
E cometer uma loucura...
Às vezes queria morrer!!!
outras matar...nem sei bem....
Matar-me sem dó nem piedade
Matar o outro ...o meu outro, o malvado
o idiota chapado
Não te preocupes mãe...
eu engulo esta raiva, esta dor...tanto faz
Vou segurar este pesadelo de vida
até onde as forças me permitirem...
Se ao menos eu não tivesse crescido
mil vezes ficasse preso no teu regaço...
Como eu compreendo agora
a desgraça de se ser adulto!
Uma desgraça minha mãe...

Publicado em 2000

10 comentários:

Delfim Peixoto disse...

Definitivamente, um poema com força e carinho!

simplesmenteeu disse...

Muito bem retratado!
A agonia de crescer. O abandono e a fome de colo...

Duros estes momentos de solidão!...

Um beijo

clic disse...

Vontade de desnascer...

Su disse...

vontade de ser criança e não entender.............



jocas maradas.sempre

Pedrasnuas disse...

É ISSO ...CRESCER É ENFRENTAR UM MUNDO DIFERENTE...
ALGUMAS VEZES FICAMOS NA SOLIDÃO PORQUE NÃO APRENDEMOS A GOSTAR DE NÓS...E NÃO APRECIAMOS A NOSSA PRÓPRIA COMPANHIA...

Fernanda disse...

A eterna saudade do colo quente, protector e seguro da nossa infância...

Um poema lindissimo...já te tinha dito..:)

Beijo

ADiniz disse...

Um olhar materno
em momentos como esse
traduzidos por palavras de Fernando Pessoa;

"há tanta suavidade em nada dizer e tudo entender..."

Abraços

Tatiana disse...

Intensamente forte!

Chegou a doer o meu peito!

Vim apreciar e lhe trazer o meu carinho

Beijos

Pedrasnuas disse...

MUITOS CARINHOS PARA QUEM ME ENTENDE E QUEM DEIXA DE ENTENDER...É SEMPRE BEM VINDO...TRAGA O QUE TROUXER

ABRAÇOS PARA A FERNANDA,DINIZ ...ÀS VEZES O SILÊNCIO CONIVENTE DIZ MUITA COISA...TATIANA ...VOLTA SEMPRE PARA APRECIAR...OBRIGADA

Parapeito disse...

:))
Deixo só um abraço apertado****+