sexta-feira, 19 de junho de 2009

Deixaram-me na caixa de correio

"Abro as pernas e as palavras se contraem
A tua língua se apropria do meu texto,
tua fala sempre bem dita.
Fecho os olhos:
teu poema me penetra,
nossas palavras gemem,
a poesia grita.
Mas eu guardo em segredo minhas frases mais aflitas.
(Pelo menos dessa vez não vou deixar que o meu medo te pareça abandono.
Pelo menos dessa vez não vou supervalorizar
nossa história que é apenas tão bonita.)
Vou deixar que se enfie em mim com os dedos
membro,
língua e malícia.
E o teu corpo,meu tutor
se apropriar do meu sem dono,
num abraço pélvico
escorregadio
num enroscamento
longo
qual novelo de delícias.
Nem importa mais se a nossa música já não toca ,
que nos toque em silêncio essa carícia."
Anónimo (desconheço o autor)

4 comentários:

ADiniz disse...

“...num abraço pélvico
Escorregadio...”
Em que momento se reconhece uma harmonização de dois senão na palavra construída de um carinho sentido, ainda que seja num sonho rompido.
Uma carta violada.

Abraços longos, feito asas de cisne a vc Pedrasnuas.

Pedrasnuas disse...

QUE HAJA HARMONIZAÇÃO ...MESMO NUM SONHO ROMPIDO

ASA DE CISNE

Glória Müller disse...

Ulalá........ meus sais!!!rs nem precisa de autor, maravilha!
Desculpe, mas hoje, sem trabalho e com dia chuvoso... estou impossível!

Pedrasnuas disse...

NÃO TEM IMPORTÂNCIA GLÓRIA...APROVEITA BEM...O BLOGUE É LIVRE...ENTRAS,SAIS ,COMENTAS O QUE QUISERES,SE NÃO QUISERES NÃO COMENTAS...ESTÁS À VONTADE...NÃO PEÇAS DESCULPA...:)))

BEIJOCAS