segunda-feira, 5 de outubro de 2009

TRAIÇÃO AOS NÚMEROS

PODERIA TER SIDO ESCRITORA...
POETISA...
PINTORA...
A ALMA SEMPRE LAPIDADA...
NINGUÉM A QUESTIONOU....
PELA CLAUSURA DOS NÚMEROS...
SÓ NÚMEROS E MAIS NÚMEROS...
OS NÚMEROS FIZERAM-LHE O ROSTO PESADO
EMBEBEDARAM-NA
ANESTESIARAM-NA
ELA CASOU-SE COM ELES
I M P E R D O A V E L M E N T E
NUNCA SOUBE FUGIR ÀQUELA ENTREGA
OS NÚMEROS ENLEARAM-SE NELA
E ELA ENLEOU-SE NELES...
DE TAL FORMA QUE TROPEÇARAM....
UM COMPROMISSO
UM NÓ DEMASIADO APERTADO
ESTRANGULADO
NO SOLUÇO DA ESCRITA RENDILHADA
MARAVILHOSAMENTE ESCULPIDA
MAS OS NÚMEROS ESPREITAM...
ESTÃO SEMPRE ALI
À SECRETÁRIA
ESPERANDO QUE ELA ESQUEÇA DE CUMPRIR OS PRAZOS
PARA ROUBAR O CANSAÇO
E A PAZ DAS NOITES DE INSÓNIA...
ELA QUER SE LIVRAR DELES
DAQUELE MATRIMÓNIO...
UM CASAMENTO , UMA VIDA
TUDO FORÇOSAMENTE
CUMPRIDO...
PENOSAMENTE CUMPRIDO...
LOGO ELA QUE TEM O REQUINTE
O DOM , A MAGIA DE TRABALHAR
AS PALAVRAS...É O SEU SEGREDO
MAIS ÍNTIMO
O AMOR ÀS LETRAS...
A SUA PAIXÃO DE SEMPRE....

5 comentários:

simplesmenteeu disse...

Enquanto se balança entre números e letras ainda respirar é possível...
Mas crescem como uma parede sem alma ou uma gaiola onde o ar se esgota.
Garra... que estrangula as palavras e faz da sua renda um trapo esgotadamente inútil.
É dificil voltar a ser seda e reencontrar a leveza dos dedos.
Obrigada por entenderes o quanto pode ser frio e castrador trabalhar os números.

O meu abraço carinhosos e grato.

Tatiana disse...

Conheço bem uma história assim...
Sorte a nossa que a escrita ainda insista em aguçar a mente...assim somos mais livres!
Um beijo carinhoso e com saudades!

OUTONO disse...

És quem és...deixa-te ser e serás sempre quem tu és...nesse ser de quem acredita.

Beijinho

Nilson Barcelli disse...

O POC por obrigação e as letras por devoção?
O primeiro tem regras, mas o segundo não... e é neste que dás azo aos teus instintos naturais de liberdade.
Deduzo que és uma criativa, coisa que o espartilho dos números contraria...
Gostei da abordagem numerico-literária ao teu ser/estar.
Beijos.

AnaMar (pseudónimo) disse...

É sempre tempo de SER.
E tu ÉS!
Bj