terça-feira, 29 de dezembro de 2009

domingo, 27 de dezembro de 2009

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Cem palavras

QUANDO AS PALAVRAS MURCHAM NA BOCA ...NINGUÉM SABE LER...NEM
DECIFRAR O QUE OS LÁBIOS NÃO CONSEGUEM DIZER...

sábado, 12 de dezembro de 2009

O meu Natal

Não percas a Esperança
Acredita sempre na claridade
Haverá um Natal de bonança
Com uma nova mentalidade
'
A verdadeira Paz ... uma nova linguagem
milhares de pombas lançar-se-ão no firmarmento
Novos rebentos hão-de parir nova folhagem
O amor chegará nos cabelos do vento
'
Sempre idealizei...
Algo de bom alguém está realizando
Os homens não são tão loucos...eu sei
E Outros valores se vão conquistando
'
Abomino as monstruosidades aqui e além
Queremos verdade no coração
Porque igualmente sofre minha Mãe
É em nome d'Ela que escrevo esta oração
'
Não existe explicação para tamanha tortura
Norte, Sul, Oeste, Este...extermínio da exitência
Dói-me ver tanta loucura...
A humanidade há-de fugir desta louca demência
'
Desejava que o Menino trouxesse Alegria
Mas na Terceira pessoa do Plural
O que sinto não é mera fantasia
Meu sentimento é real...
Publicado em 91

domingo, 6 de dezembro de 2009

Prova de amor em tempo de Natal

Já há algum tempo que os grandes olhos do maroto fixavam a vitrina. Ninguém prestara atenção à criança ali parada, empedernida. Do lado de dentro da loja, a menina de olhos negros sorria-lhe e o garoto de pupilas dilatadas esticou-se e pôs-se em bicos de pés para observá-la melhor.
Piscou os olhos e soprou num assobio matreiro, mordendo com força o lábio inferior.
- Ah…Linda boneca! Gostava tanto de poder brincar com ela…- atraíam-no os cachos de caracóis emoldurando o rosto trigueiro tornando-a praticamente real. Se ele pudesse tocá-la…ainda hesitou antes de entrar. Respirou fundo, encheu o peito de coragem e com um ar destemido de cavaleiro arrojado, colocou-se à socapa junto da boneca e acariciou-a timidamente. Viu o preço afixado mas ainda não conseguia descodificar a importância, embora tivesse aprendido na escola.
Amava profundamente a dança, por isso corria muito, trepava muros, saltava por cima dos bancos…os pés ganhavam asas e ele voava como os pássaros. Era um rapazinho sensível e inteligente. Sonhava com o dia em que iria pisar um palco e ser aplaudido por multidões de fãs. Quando bailava sentia-se livre como ninguém… Livre de preconceitos, livre de livros maçudos que a mãe obrigava-o a ler, dos números intermináveis, mesquinhos e das palavras agudas e esdrúxulas …livre da escola que o amarrava a uma mesa quase todo o dia. Era no ar, quando bebia aquela sensação de paz infinita, inigualável e de entrega absoluta à natureza que o seu coração irrompia de regozijo e satisfação.
- Oh miúdo, que fazes aí?- questionou o empregado da loja.
O rapaz ficou mudo, quieto e tenso. Então o empregado continuou:
- Que queres daí? Uma boneca?! Isso é para meninas. Vai atrás da bola … isso é que é para homens…
- Que preconceito o seu! – comentou um homem alto que acabara de entrar .
- Não é preconceito senhor… sempre ouvi dizer que as bonecas são para as meninas e a bola para os rapazes, é como as cores…
- Que quer dizer?
- Azul para homem, cor-de-rosa para senhoras.
- O seu mundo é muito limitado, para si resolve tudo com duas cores e simplifica tudo.
- Não sou o único…
- Pois, mas sabe, eu faço a diferença… uso várias cores no vestuário e não me importo com o que possam pensar.
- O senhor é que sabe…eu ainda sou à antiga como meu pai e meu avô, eles ensinaram-me assim e é assim que eu sou.
- Com certeza, faça-me o favor de embrulhar a boneca. - pediu o cliente.
- É para dar de presente à sua filha?
- Não, é para o menino, eu não tenho filhas, tinha um rapaz por certo muito parecido com aquele.
- Tinha, já não tem?!
- Morreu o ano passado no Natal.
- Lamento, deve ter sido duro…
- Uma tragédia… depois disso passei a contemplar a vida com outras lentes…
- Olhe, aqui tem a sua boneca.
O homem alto, recebeu o pacote, pagou-o, virou-se devagar para o menino, inclinou-se, olhou-o nos olhos com profundidade e carinho e indagou:
- Querias a boneca, não querias?
- Sim, queria…
O empregado que ficara a presenciar a cena acrescentou para o menino:
-Oh, miúdo dá essa boneca à tua irmã…
- Eu sou sozinho, não tenho irmãs.
- Então entrega a uma prima, dá-lhe de prenda.
- Não, esta boneca é para eu fazer de conta que é minha irmã.
- Não tens amigos?
- Tenho mas é diferente…
- Alegra-te meu rapaz, toma a tua prenda e vai brincar. – acrescentou o homem alto.
O garoto segurou no embrulho e precipitou-se para a saída.
-Ei, oh, miúdo, agradece ao senhor! – lembrou o empregado.
- Obrigado - balbuciou apressado.
O garoto, à saída voltou-se para trás, contraiu os lábios e subitamente os olhos ficaram mais brilhantes e húmidos.
Ajeitou a boina para dissimular a vergonha que sentia e correu num alvoroço avenida abaixo com o pacote na mão.
Lá ao fundo, antes de virar a esquina, retrocedeu e alegremente acenou ao homem alto que continuava à porta da loja.

Pedras nuas Dezembro de 91

http://fabricadeletrasepalavras.blogspot.com/




terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Um Amigo


Recebi de CR dos Recantos este mimo que muito me honra... fui nomeada e numa das visitas fortuitas encontrei-me por lá...
Passemos então às questões que de lá vêm.
1- Mania - Exigente comigo e com os outros
2- Pecado Capital - Desconfiada
3- Melhor cheiro do mundo - O das crianças
4- Se o dinheiro não fosse problema - Um cruzeiro à volta do mundo
5- História de infância - O amor de minha avó
6- Habilidade na cozinha - Fazer sopa todos os dias
7- O que não gosta de fazer em casa - Limpezas
8- Frase preferida - Algumas...mas talvez - "Quem não enfrenta as tempestades passa a vida a rastejar"
9- Passeio para o corpo - À beira mar
10- Passeio para a alma - Estar comigo
11- O que me irrita - Que não me compreendam
12- Frases que muito uso - Às vezes -"Quem tem telhados de vidro não atira pedras aos outros"
13- Palavrão mais usado - Não me lembro
14- Talento oculto - Só para quem me conhece...
15- Não importa que esteja na moda, eu nunca usaria - Só por ser moda
16- Queria ter nascido a saber - Tocar piano
Passo a nomear os seguintes :
- NimbyPolis
- Dar voz às palavras
- Searas de versos
- Paço das Artes
- Viver é pura Magia
- O Momento Certo
- Simplesmente Amor
- Fluidific' Art Ki
- Sereia
- Vanuza Pantaleão/Obra Literária
- Na rua contigo
- Oxigénio
- Queixo-me às rosas
Havia mais a nomear ...e eram só oito...