sábado, 12 de dezembro de 2009

O meu Natal

Não percas a Esperança
Acredita sempre na claridade
Haverá um Natal de bonança
Com uma nova mentalidade
'
A verdadeira Paz ... uma nova linguagem
milhares de pombas lançar-se-ão no firmarmento
Novos rebentos hão-de parir nova folhagem
O amor chegará nos cabelos do vento
'
Sempre idealizei...
Algo de bom alguém está realizando
Os homens não são tão loucos...eu sei
E Outros valores se vão conquistando
'
Abomino as monstruosidades aqui e além
Queremos verdade no coração
Porque igualmente sofre minha Mãe
É em nome d'Ela que escrevo esta oração
'
Não existe explicação para tamanha tortura
Norte, Sul, Oeste, Este...extermínio da exitência
Dói-me ver tanta loucura...
A humanidade há-de fugir desta louca demência
'
Desejava que o Menino trouxesse Alegria
Mas na Terceira pessoa do Plural
O que sinto não é mera fantasia
Meu sentimento é real...
Publicado em 91

7 comentários:

Brown Eyes disse...

Pedrasnuas está lindo e, apesar de ter sido publicado em 1991, continua a ter uma mensagem actual. Tenho Esperança que um dia chegue a Paz para podermos ter Alegria. Beijinhos

Marcos Campos disse...

Super bonito!!
Que assim seja!!
Bj

Nilson Barcelli disse...

Já escrevias bem em 91... se o fizesses hoje, o poema seria diferente, mas a mensagem seria idêntica.
Querida amiga, um bom Natal para ti, na segunda pessoa do singular, extensível aos plurais amores da tua vida.

meus instantes e momentos disse...

sempre bonito,
saudades daqui.
Maurizio

Sereia disse...

Voltei gata.
Beijos.

Lídia Borges disse...

Uma bonita mensagem de Natal nestas palavras de Paz.

Tenha um Feliz Natal!

Miguel Ângelo disse...

Bom Natal e que as iguarias sejam do melhor e mais apetecível que possam existir...
Com os cumprimentos de
Miguel Ângelo