sábado, 2 de janeiro de 2010

Que sabes tu de mim...


Eu que nunca te falei
das pontes que atravessei
dos desertos sem fim
sem nome
e...sem mim
'
Eu que nunca te falei
dos gritos apenas murmurados
proibidos
e sufocados
'
Eu que nunca te falei
das portas que fizeram
eco na minha cabeça
muitas vezes em silêncio escutei
'
Eu que nunca te falei
das horas paradas
mortas
jazidas
e sem inspiração
'
Eu que nunca te falei
dos amores que tive
das bocas que sofregamente
beijei
e das línguas ardentes
que deliciosamente chupei
'
Eu que nunca te falei
das chuvas copiosas
que fustigaram o alento
e fizeram-me sangrar por dentro
'
Eu que nunca te falei
dos risos, das gargalhadas
dos peixes e das fadas...
'
Eu que nunca te falei
se sou vela
nau
caravela
se pertenço
a ti
a um grupo
ou bando
'
Eu que nunca te falei
se sou gaivota sedenta
desse mar que um dia foi céu
ou uma simples cabeça
coberta por um véu
'
Eu que nunca te falei
do mundo cinza
brutalmente cinza
de um cinza cinzeiro
de um apagado luzeiro
'
Eu que nunca te falei
da aparência que ilude
no corpo franzino
na fuga heróica
à depressão que persegue
'
Eu que nunca te falei
das adversas reacções
da cabeça que meneia
do perdido desatino
que a outros enfurece
'
Eu que nunca te falei
da falta de concentração
a razão... do sorriso triste
porque tu não me ouviste.

16 comentários:

Ana Cristina Cattete Quevedo disse...

Realmente, pior do que deixar de serem ditas tantas coisas importantes , é não ter um bom ouvinte. Ou só ouvinte, nem precisa ser bom.

Bom Inicio de Ano

=)

Chica disse...

Profundo e lindo poema! beijos,chica e lindo 2010!

Teresa disse...

A beleza das palavras, mesmo das que nunca foram ditas.
Bjs

Brown Eyes disse...

Ser bom ouvinte, estar atento ao que nos rodeia, às necessidades dos outros, marca na diferença. Ser amigo é ser-se belo.
Lindo Pedrasnuas. Beijinhos

LR disse...

uau!!!
[como é possível tanta inspiração e ainda assim sobreviver?]

Teresa disse...

Pedras Nuas
Tenho o maior prazer em receber-te no Olhares Viajantes e volta sempre que te apetecer. Mas a minha participação na Fábrica de Letras é com o outro blogue "Os meus Óculos do Mundo", se te apetecer ir lá ver.
Bjs

ADiniz disse...

Aff )))------- Pedrasnuas
Este entre tantos outros, foi o que arrebatou- me. Li e reli, agora justificarei...
“...
Eu ficarei só como os veleiros nos pontos silenciosos.
Mas eu te possuirei como ninguém porque poderei partir.
E todas as lamentações do mar, do vento, do céu, das aves, das estrelas.
Serão a tua voz presente, a tua voz ausente, a tua voz serenizada.”
(Vinicius de Moraes, Ausência )

Este ano prometi, adorei parabéns
Bjinhos cheios como esta linda lua, pra vc e um bom retorno ao lavoro, e sucesso em teus projetos.

AnaMar (pseudónimo) disse...

Tanta coisa que disseste, sem teres falado :-)
Um FUNtabulástico 2010.
Com muita alegria.
2010 beijos.

Tatiana disse...

Eu que nunca te falei...
Do quanto admiro a sua escrita.

Estou aqui nesse momento rendida a emoção ao ler as suas palavras.

Deixo um beijo com meu carinho

Gingerbread Girl disse...

Fez-me pensar... ;)

Muito bonito.

*

meldevespas disse...

às vezes fazemos ouvidos moucos e ficamos mais pobres, menos felizes e certamente mais feios.
Bonito

Catsone disse...

Podes não falar, mas continua a escrever.
Muito bom.

Brown Eyes disse...

Pedrasnuas há um desafio, no meu blog, que gostaria que aceitasses. Beijinhos

Mika disse...

Dizer-se para quem não ouve...
Apetece calar-lhe a surdez.


Abraço continental

Miguel

MiHomem disse...

Tanto que falamos,no nosso silencio.
brigado Afonso este teu texto tocou-me mesmo cá no fundo.

Ianê Mello disse...

É realmente triste quando não somos ouvidos.

Belíssimo poema!

Beijos.