terça-feira, 23 de março de 2010

NÃO SEJA CÚMPLICE




"Multiplicam-se Escândalos de abusos sexuais
na Igreja Católica "

"Na Áustria Bruno Becker, arcebispo, demitiu-se ao ser acusado de ter molestado sexualmente, há 40 anos, uma criança de 11 anos. Segundo provas, agora apresentadas, Becker terá tentado silenciar a presumível vítima, já adulta, oferecendo-lhe 5000 Euros.
Estas situações estendem-se a outros países. Na Holanda foram divulgados mais de 200 casos de abuso sexual de menores perpetrados não apenas por padres mas por freiras.
Aqui vai recorrer-se a uma comissão independente, fora da igreja católica, para analisar estes relatos de abusos, uma resposta ao crescente número de vítimas que tem surgido.
Na Alemanha a ministra da Justiça acusa o Vaticano de bloquear o trabalho com uma directriz de 2001 que diz que as suspeitas de abuso sexual devem ser investigadas primeiro no seio da Igreja.
Um dos casos mais falados no país aconteceu no coro de Ratisbona. Georg Ratzinger, o irmão do papa que liderou este grupo, afirma não saber nada sobre os abusos sexuais apesar de admitir que esbofeteou algumas crianças.
O Vaticano defende-se e afirma que a pedofilia acontece em vários sectores da sociedade e diz que acusar apenas a Igreja Católica é deturpar a realidade.
Copyright © 2010 euronews
Últimas informações internacionais"

'


DESABAFO


Domingo,21 de Março, por mero acaso, vi parte de um documentário na SIC Notícias, acerca de crianças violadas por gente da igreja. Foram relatos chocantes de homens que tinham sido abusados sexualmente e mal tratados por clérigos. Também assisti ao relato de um padre, agora fora de funções... que falou abertamente do que sentia pelas crianças, quer raparigas ,quer rapazes... e de certa forma descreveu alguns pormenores...enfim... e há um documento na posse do vaticano onde consta que será excomungado e expulso todo aquele que acusar qualquer membro da igreja por ter praticado o acto de violação...
Isto é o que a igreja tem feito ao longo destes anos todos...silenciar as vítimas de abuso sexual e proteger esses seres que se dizem amigos, defensores das crianças... porque afinal é...(vinde a mim criancinhas que quero comê-las ) .
Que Igreja é esta, que é tão moralista, cheia de pudores para com os casamentos homossexuais...tão preconceituosa mas tolera e abafa esse género de imoralidades?! E há clérigos que saltam de paróquia em paróquia quando são descobertos mas vão repetindo as mesmas aberrações por onde passam...?!
É verdadeiramente preocupante e até pavoroso que o vaticano porcure justificar assim os muitos casos da igreja , dizendo que acontecem nos vários sectores...pois é verdade, lamentavelmente é verdade ...mas quando o violador é um homem sem estatuto, o filme é outro, é imediatamente preso...para responder pelo seu crime...devia ficar afastado de menores e além disso, receber o tratamento psicológico e psiquiátrico adequado... A justiça devia actuar assim com todos aqueles que prevaricam e roubam a inocência de uma criança e marcam para sempre vidas humanas...veja-se o que se passou recentemente no Brasil...as imagens quase explícitas do acto... Pensar que alguém pode fazer isto com um dos nossos filhos é monstruoso...e é igualmente monstruoso se acontecer no seio da própria família por parte de um dos progenitores ou outros familiares.
A infância de qualquer criança é a pedra basilar para a sua formação como homem ou mulher. A verdade nua e crua dói, é tempo de acordar consciências adormecidas e covardes. É TEMPO DE CRIAR VERGONHA NA CARA...SE DEIXAR DE HIPOCRISIAS...FALSOS CINISMOS E MENTIRAS.
LAMENTO MAS ESTAS SITUAÇÕES REVOLTAM-ME!!!


Queridos Amigos por razões de força maior estarei algum tempo ausente mas não vou sem deixar aqui expresso os Meus Sinceros Agradecimentos pela Vossa Amizade , Respeito,Companhia, Carinho... que muito Prezo. Desejo-vos uma Páscoa Feliz e Aprazível ...quando regressar prometo responder a todos quantos tiveram a amabilidade de me comentar...Muito Obrigada e até sempre se Deus quiser...

quarta-feira, 17 de março de 2010

Aparentemente

Quando o dia se engasga de penumbra
perde logo a claridade
os meus olhos vidrados...com odor a tabaco cruzam-se com os teus
...num ângulo agudo ...até dói na boca ressequida
o rosto amarfanhado de escuro
da terra...sim da terra
estou alcoolizado...
e tão feliz
Alguém é mais feliz que eu?
És mais feliz que eu?!
E o que é ser feliz?
Tu só queres saber dos teus conceitos...
Essas teorias irritam-me solenemente
afasta-me esse riso embusteiro e triunfante
vai para o diabo sem mim
e deixa-me ser feliz sozinho!


sexta-feira, 12 de março de 2010

"ESTE É O MAIOR FRACASSO DA DEMOCRACIA PORTUGUESA"

"Não admira que num país assim emerjam cavalgaduras, que chegam ao topo, dizendo ter formação, que nunca adquiriram, (Olá! camaradas Sócrates…Olá! Armando Vara…), que usem dinheiros públicos (fortunas escandalosas) para se promoverem pessoalmente face a um público acrítico, burro e embrutecido.

Este é um país em que a Câmara Municipal de Lisboa, desde o 25 de Abril distribui casas de RENDA ECONÓMICA - mas não de construção económica - aos seus altos funcionários e jornalistas, em que estes últimos, em atitude de gratidão, passaram a esconder as verdadeiras notícias e passaram a "prostituir-se" na sua dignidade profissional, a troco de participar nos roubos de dinheiros públicos, destinados a gente carenciada, mas mais honesta que estes bandalhos.

Em dado momento a actividade do jornalismo constituiu-se como O VERDADEIRO PODER. Só pela sua acção se sabia a verdade sobre os podres forjados pelos políticos e pelo poder judicial. Agora contínua a ser o VERDADEIRO PODER mas senta-se à mesa dos corruptos e com eles partilha os despojos, rapando os ossos ao esqueleto deste povo burro e embrutecido.
Para garantir que vai continuar burro o grande cavallia (que em português significa cavalgadura) desferiu o golpe de morte ao ensino público e coroou a acção com a criação das Novas Oportunidades.
Gente assim mal formada vai aceitar tudo e o país será o pátio de recreio dos mafiosos.

A justiça portuguesa não é apenas cega. É surda, muda, coxa e marreca.

Portugal tem um défice de responsabilidade civil, criminal e moral muito maior do que o seu défice financeiro, e nenhum português se preocupa com isso, apesar de pagar os custos da morosidade, do secretismo, do encobrimento, do compadrio e da corrupção.
Os portugueses, na sua infinita e pacata desordem existencial, acham tudo "normal" e encolhem os ombros.
Por uma vez gostava que em Portugal alguma coisa tivesse um fim, ponto final, assunto arrumado.
Não se fala mais nisso. Vivemos no país mais inconclusivo do mundo, em permanente agitação sobre tudo e sem concluir nada.
Desde os Templários e as obras de Santa Engrácia, que se sabe que, nada acaba em Portugal, nada é levado às últimas Consequências, nada é definitivo e tudo é improvisado, temporário, desenrascado.

Da morte de Francisco Sá Carneiro e do eterno mistério que a rodeia, foi crime, não foi crime, ao desaparecimento de Madeleine McCann ou ao caso Casa Pia, sabemos de antemão que nunca saberemos o fim destas histórias, nem o que verdadeiramente se passou, nem quem são os criminosos ou quantos crimes houve.

Tudo a que temos direito são informações caídas a conta-gotas, pedaços de enigma, peças do quebra-cabeças. E habituámo-nos a prescindir de apurar a verdade porque intimamente achamos que não saber o final da história é uma coisa normal em Portugal, e que este é um país onde as coisas importantes são "abafadas", como se vivêssemos ainda em ditadura.

E os novos códigos Penal e de Processo Penal em nada vão mudar este estado de coisas. Apesar dos jornais e das televisões, dos blogs, dos computadores e da Internet, apesar de termos acesso em tempo real ao maior número de notícias de sempre, continuamos sem saber nada, e esperando nunca vir a saber com toda a naturalidade.
Do caso Portucale à Operação Furacão, da compra dos submarinos às escutas ao primeiro-ministro, do caso da Universidade Independente ao caso da Universidade Moderna, do Futebol Clube do Porto ao Sport Lisboa Benfica, da corrupção dos árbitros à corrupção dos autarcas, de Fátima Felgueiras a Isaltino Morais, da Braga Parques ao grande empresário Bibi, das queixas tardias de Catalina Pestana às de João Cravinho, há por aí alguém quem acredite que algum destes secretos arquivos e seus possíveis e alegados, muitos alegados crimes, acabem por ser investigados, julgados e devidamente punidos?

Vale e Azevedo pagou por todos?

Quem se lembra dos doentes infectados por acidente e negligência de Leonor Beleza com o vírus da sida?

Quem se lembra do miúdo electrocutado no semáforo e do outro afogado num parque aquático?

Quem se lembra das crianças assassinadas na Madeira e do mistério dos crimes imputados ao padre Frederico?

Quem se lembra que um dos raros condenados em Portugal, o mesmo padre Frederico, acabou a passear no Calçadão de Copacabana?

Quem se lembra do autarca alentejano queimado no seu carro e cuja cabeça foi roubada do Instituto de Medicina Legal?
Em todos estes casos, e muitos outros, menos falados e tão sombrios e enrodilhados como estes, a verdade a que tivemos direito foi nenhuma.

No caso McCann, cujos desenvolvimentos vão do escabroso ao incrível, alguém acredita que se venha a descobrir o corpo da criança ou a condenar alguém?

As últimas notícias dizem que Gerry McCann não seria pai biológico da criança, contribuindo para a confusão desta investigação em que a Polícia espalha rumores e indícios que não têm substância.

E a miúda desaparecida em Figueira? O que lhe aconteceu? E todas as crianças desaparecida antes delas, quem as procurou?

E o processo do Parque, onde tantos clientes buscavam prostitutos, alguns menores, onde tanta gente "importante" estava envolvida, o que aconteceu?

Arranjou-se um bode expiatório, foi o que aconteceu.

E as famosas fotografias de Teresa Costa Macedo? Aquelas em que ela reconheceu imensa gente "importante", jogadores de futebol, milionários, políticos, onde estão? Foram destruídas? Quem as destruiu e porquê?
E os crimes de evasão fiscal de Artur Albarran mais os negócios escuros do grupo Carlyle do senhor Carlucci em Portugal, onde é que isso pára?

O mesmo grupo Carlyle onde labora o ex-ministro Martins da Cruz, apeado por causa de um pequeno crime sem importância, o da cunha para a sua filha.

E aquele médico do Hospital de Santa Maria, suspeito de ter assassinado doentes por negligência? Exerce medicina?

E os que sobram e todos os dias vão praticando os seus crimes de colarinho branco sabendo que a justiça portuguesa não é apenas cega, é surda, muda, coxa e marreca.

Passado o prazo da intriga e do sensacionalismo, todos estes casos são arquivados nas gavetas das nossas consciências e condenados ao esquecimento.
Ninguém quer saber a verdade.
Ou, pelo menos, tentar saber a verdade.

Nunca saberemos a verdade sobre o caso Casa Pia, nem saberemos quem eram as redes e os "senhores importantes" que abusaram, abusam e abusarão de crianças em Portugal, sejam rapazes ou raparigas, visto que os abusos sobre meninas ficaram sempre na sombra.

Existe em Portugal uma camada subterrânea de segredos e injustiças, de protecções e lavagens, de corporações e famílias, de eminências e reputações, de dinheiros e negociações que impede a escavação da verdade.

Este é o maior fracasso da democracia portuguesa."

Clara Ferreira Alves - "Expresso"

segunda-feira, 8 de março de 2010

Faça-se silêncio



O pano acende
O palco sobe
As luzes pagam
Os pássaros sorridentes
sobem às alturas….
Há voos …
Acrobáticos:
Rasantes
Triplos
Rotativos
Giratórios
Verticais
Horizontais
Oblíquos
Palhaços Cambaleantes…dançantes
A respiração suspende…
Os olhos vidrados
Seguem os movimentos
Hilariantes
Os tropeções ondulantes
Os saltos gigantes
Mortais…
O palco desce
O pano apaga
Os pássaros travam a bebedeira...
Curvam-se numa vénia
Desmedida…
O silêncio desfaz a chuva de palmas…

quarta-feira, 3 de março de 2010

Manhã submersa em silêncio


Ave que desliza
Nua no céu
Penedo mudo
Submisso ao véu
.
Mastro erguido
Pena que bóia
Peito sentido
Vento aturdido
.
Água estagnada
Passiva …regrada
Olhos sedentos
Maresia enamorada
.
Frio da manhã
Chamo por ti…
Toalha de linho
Bordada sem fim
.
Grito sem voz
Gemido sem cor
Dor atroz
Assobio de pastor