segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Bicadas da minha pena

“O corpo”




Vi e foi numa recta final de sábado, um desses que já passaram...estava curiosa e de repente uma amiga surgiu na hora certa com um estojo recheado deles...lembro que nesse dia não me sentia lá muito bem!!! Aquelas crises de meia idade que nos batem à porta sem pré aviso! E lá chovem uma série de dúvidas, receios, medos, frustrações e constatações...não muito agradáveis... subitamente somos assaltados por uma vontade insuportável de chorar e de não querer ter ninguém por perto... Ficamos então a curtir aquela sensação de náufrago que resvala nos meandros de uma depressão, que sem grandes dramas morre um ou dois dias depois …

Retomando o fio à meada, nesse fim de tarde...segurei o estojo e sem mais delongas tirei um filme para visionar no computador...A película intitulava-se; “O corpo” com António Banderas, interpretando o papel de padre! Sem querer entrar em pormenores, porque a ideia não é recontar a história, pois isso não faria sentido e seria enfadonho! Tudo começou quando uma arqueóloga descobriu um túmulo e as ossaturas de um homem que tudo indicava serem as de Jesus Cristo!!! A polémica instalou-se, e é naturalíssimo que gerasse grande confusão entre as partes envolvidas: israelitas, palestinianos, Vaticano… Um dos padres amedrontado com a ideia, suicidou-se, e essa morte remeteu-me para a morte colectiva da humanidade crente numa fé cultivada durante séculos....! Seria realmente trágico se hoje a ciência provasse que a ressurreição de cristo nunca acontecera ... Que tremendo abalo para todos aqueles que acreditam no Filho de Deus! Penso que a igreja tudo faria para que a verdade fosse calada e poupada a escândalos… O final é realmente surpreendente, quando António banderas deixa cair o engenho explosivo, correndo, ele próprio risco de vida, contudo, impediu assim que soubessem o que quer que fosse acerca da identificação do ossos. Depois ele deixa o Vaticano porque apercebe-se que foi usado pelos membros do clero para esconder os factos, e sobretudo, chega à conclusão que não necessita da igreja para ser um homem de fé.

 8 de Março de 2006



sábado, 13 de novembro de 2010

Terceira Experiência


Poema de André Martins (à memória do meu avô)

Não fujas

A esferográfica com que opero o parto
bal bu ci an te
pode vir a falhar, o café arrefecer,
a manteiga coalhar,o calendário mudar
e nisso tudo há a ameça dum relógio que nos usa.

Entro no quarto deserto do cimo da vida :
A poeira deitada como um beijo nos móveis
o teu retrato, o chapéu, a gabardina,
as folhas agrafadas
onde lavraste com diligência ciúrgica, o sentido da tua vida:
as teorias de doutor de lareira com que
entretias a solidão

Tudo isso é tão caro como se saltasses do retrato
donde me olhas do fundo do tempo,
tudo isso é tão caro
como se voltasses a ocupar o vazio côncavo do chapéu
e o forro da gabardina engelhado ( o coração engelhado?),
tudo isso é tão caro
como se as tuas mãos acariciassem de novo o papel

de que valem as promessas da superstição
se mergulhaste nesse lago de fome eterna
e raízes de gelo?
de que valem as promessas da superstição
se os sonhos valem o mesmo que o pó que mordes?
os grilos não desistem de ferir liras,
oa rios cantam novamente
e os tapetes de flores desdenham os viajantes extintos?

A minha memória é Deus na capela sistina:
tu voltarás rondando as palavras e as coisas
e eu te renovo o sopro no coração gelado,
porque o que realmente és vive ainda
dentro daquilo que te chama em nós.

Acompanha-me a História dos sonhos e dos desastres
do anjo mutilado, as argumentações e contra argumentações
das gerações apodrecidas e a indefinição do enigma?
A filosofia? A poesia? quem ultrapassa os limites?

é tudo tão inútil como pronunciar o teu nome
António Francisco Alves Martins
repito mas em vão
António Francisco...
para sempre

(*citação de Herman Broch)

Voz : Pedras nuas

domingo, 7 de novembro de 2010

Prémios Dardos

Os meus ensaios  receberam o prémio Dardos, pela primeira vez, vindo directamente do SHE
"Acho que é coisa importante, cá para as bandas da blogosfera..."


Reza que «O Prémio Dardos é o reconhecimento dos ideiais que cada blogueiro emprega ao transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais, etc.... que, em suma, demonstrem a sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre as suas letras e as suas palavras. Estes selos foram criados com a intenção de promover a confraternização entre blogueiros, uma forma de demonstrar o carinho e reconhecimento por um trabalho que agregue valor à Web.»


Os nomeados estão no sei_lá...se por acaso não se encontra na lista,as minhas sinceras desculpas.
 
Porque no meu coração e na minha mente está com certeza e faz-me falta a sua presença.
 
Muito Obrigada à Ana...do SHE
 
UM BRINDE A TODOS!!!

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Ver mais além,ver mais fundo,ver melhor...


 Na pureza do ser, o ideal sonhado, na pureza do vidro ver a verdade...sem mentiras,sem embustes ,sem delírios ,sem loucas fantasias...Simplesmente ver o óbvio.Ver com os olhos,com os ouvidos,com a boca cheia de sol. Ver com as mãos,apalpar ,sentir o fresco...e incendiar toda de frio...

 Particpação na blogagem colectiva da Fábrica de Letras e Palavras