quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Bicadas da minha pena IV


M- Não, não quero casar contigo!
H- Porquê se nos amamos?!
M- Porquê? Mudei meu amor...
H- Qual foi a transformação que nem notei...
M- Quero me conhecer mais profundamente, quero ser independente e agora começo a apreciar ainda mais a minha liberdade!
H- E que pretendes fazer com toda essa liberdade ?
M- Nem queiras saber...
H- Aposto que nem sabes, estás a ganhar tempo para inventar uma razão que justifique  esse capricho.
M- Engano teu, meu lindo...pretendo ser bem sucedida,viajar bastante, jantar em bons restaurantes...e divertir-me com o meu grupo de amigos...
H- Não te faltará nada ?
M- É óbvio que sim...
H- Um bom casamento!!!
M- Não meu querido, o casamento é um fracasso!!!Não preciso de um marido para ter segurança financeira,status ou filhos. Quero um homem para suporte emocional ,intimidade e amizade...
H- Tudo tretas!!!
M- Não, a isto chama-se independência, auto suficiência,...não me imagino nem mais um dia a dividir o meu dinheiro com alguém ou a ter que prestar contas de quanto gasto numa compra para mim.
H- Isso é tudo conversa...modernices que raramente correm bem...E a solidão? e a falta de sexo?
M- Preciso dessa solidão,gosto de estar sozinha e fazer aquilo que mais me dá prazer...e meu querido, casamento e bom sexo não rimam...a experiência diz-me que partilhar a casa, a intimidade e todos os outros aspectos do quotidiano é um dos piores inimigos do desejo.
H- Julgas-te capaz de ser feliz assim?
M- Descobri que adoro ser solteira e não estou sozinha, simplesmente adoptei um novo estilo de vida...
H- Grande coisa,cabecinha pensadora...
M- Sabes, eu não me vejo como vítima do mercado matrimonial, posso  namorar contigo mas  não pretendo casar...é só isso. E vou gastar mais  energia e investimento na carreira profissional...
H- Mas neste caso tenho uma palavra a dar...
M- Diz
H- Quero me casar!!!
M- Pois que seja mas não comigo.

13 comentários:

Luís Coelho disse...

Retrato de uma juventude actual.
Namorar muito mas casar nunca.
Será bom enquanto dura e se pode sentir prazer, mas nada de compromissos sérios de mais que tirem a liberdade....

A nossa sociedade está a mudar muito rapidamente. Os que "se adaptam" e os que querem manter-se no "antigamente correcto"
Para uns e outros é preciso tolerância e muito respeito.

Vamos entrando numa sociedade que vive em mudanças e nada de regras e leis que os limitem nas suas próprias vontades de liberdade.

Ana disse...

Sendo uma rapariga a caminho do meio século de existência, se pudesse voltar atrás era exactamente assim que tinha feito.
Mas se calhar sou só eu...
Bjs

Mgomes - Santa Cruz disse...

Amiga um lindo dialogo mas também um bom retrato desta sociadade moderna, mas mesmo assim gostei porque ela mostra ser uma mulher de fibra, espero que não fiques chatiada comigo, pois escrevi qualquer coisa com o titulo Pedras-nuas. Já postei no meu blog.
Beijos
Santa Cruz

ADiniz disse...

Interessante diálogo...
Seria ele na verdade um monólogo
entre Pedras e Nuas?!
Superficial relacionamento da contemporaneidade
bom pra quem consegui viver assim, acreditando que se aproveita a vida melhor se estiver só que é uma boa maneira de disfarçar o medo de se entregar para o amor.
Mas isso é uma condição humana, porem não da natureza humana, pois nunca antes na historia do homem mostrou-se tantos indícios de isolamento como na atualidade, levando ao disparate de ir em buscas de relacionamentos em salas de bate-papos, chats, enfim em virtuais paraísos seguro.
Surpreendente picada de sua pena
Bjs moça

José María Souza Costa disse...

Belissimo e interessante de ler
Passei aqui lendo o que tem pra ler. E observando o que tem para observar. E Exaltando o que tem de ser Exaltado. Estou lhe desejando um Tempo de Harmonia e de muita Inspiração. Entendo ter um blogue Agradavel, muito bom e Interessante. Eu, também tenho um. Muito Simplório por sinal. E estou lhe Convidando a Visitá-lo e, mais. Se possivel Seguirmos juntos por eles. Estarei Muito Grato esperando por Você lá.
Abraços de verdade e, fique com DEUS

Em@ disse...

Pedras,
1º gostei bastante do teu texto pois retrata um sector do leque Feminino.
felizmente que há mulheres que já não vêem o casamento como o único objectivo da sua vida. como se sabe o casamento foi uma invenção do Homem para preservação da Propriedade...principalmente pela existência da quantidade de filhos que os homens iam fazendo aqui e ali...
Eu sou da geração que desvaloriza o casamento , mas valoriza a relação monogâmica.se as pessoas se respeitarem o papel assinado serve para quê?
E a questão religiosa não se pode pôr, porque sabemos muito bem que apesar de existir o sacramento do matrimónio, quem o escolheu (livre e conscientemente) muitas vezes "salta a cerca" ,não é?


beijo

Virgínia do Carmo disse...

Dizer não ao alinhamento é um desafio que nos pertence...

Deixo um beijo e um sorriso :)

Mari Amorim disse...

Bom final de semana,boas energias!Obrigada pelo carinho da visita,Luz!
Mari

Manuela Freitas disse...

Pedras de sabedoria, de imaginação, de magia...e nuas também!
Concordo absolutamente com essa mulher que se recusa a seguir o caminho tradicional e com todos aqueles pesos conhecidos, concordo absolutamente, mas relativamente a mim é tarde, «Inês é morta!» rssss
Quando dei esse passo, tinha precisamente essas ideias, só que era um escândalo, uma estupidez da minha parte, já que nessa altura as relações de facto não existiam, eram as amázias e nada estava assegurado! Felizmente o tempo mudou e abriu o leque de hipóteses!
Beijinhos minha querida,
Manuela

Nilson Barcelli disse...

Segui o diálogo com atenção e concordo que o casamento nem sempre é a melhor opção.
Mas cada caso é único e irrepetível... portanto, penso que não há boas práticas conhecidas nesta matéria...
Parabéns pelo teu excelente texto. Abordaste um aspecto importante de uma forma inteligente e muito directa, sem grandes teorias e explanações, sempre cansativas...
Querida amiga, boa semana.
Beijos.

JPD disse...

Não iria resultar.
O texto é um excelente guião para um take de uma curta metragem.
Belo texto, Pedras.
Bjs

Parapeito disse...

:))
Um diálogo ruim de bom :)
brisas mansas para ti*

AnaMar (pseudónimo) disse...

O casamento é um projecto a dois. Com ou sem papéis assinados. Um compromisso dum desejo de se querer viver aventuras,,,a dois. Nem sempre os caminhos são os mesmos, ou as vontades, ou mil e uma coisas que tantas vezes conflituam. Se houver respeito e amizade, pedra basilar de qualquer relacionamento, o amor faz o resto.

Mesmo acreditando que o Homem não é monogãmico, acho um desafio, um homem e uma mulher comprometerem-se em se bastarem...E há-de ser o sentir que definirá o relacionamento.

Interessante , o teu texto, porque vai mais longe, nos dias que correm: está em mudança a fam+ilia tradicional...Bom ou mau? Não sei, faz parte das evoluções, mesmo que em certas situações se regrida. mas o comportamneto humano, por mais que seja estudado, há-de sempre surpreender:-) E ainda bem que assim é.
Beijocas