segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Largar um poema...

LARGAR UM POEMA

BARQUINHO DE PAPEL
EM ALTO MAR
ONDAS DE VINHO
OSCILANDO
TIMIDAMENTE
FUGIDIO
EVASÕES DE FELICIDADE
OLHOS CANSADOS
VIDRADOS
NA POEIRA DO DESTINO

LARGAR UM POEMA
NUM DIA DE MORTAL FRAGILIDADE
HÁ VOZES QUE CHAMAM
ASSUSTAM COPIOSOS MEDOS
CLANDESTINAMENTE
SOMBRAS DE ALMAS PENADAS
BEIJO FRAGA
RUÍDOS …
PALAVRAS SEM NEXO
E SEM PRETEXTO
PARA NADA…

LARGAR UM POEMA
A VIDA
FOGUEIRAS DORMINDO
OLHOS INQUIETOS
DESCONSOLADOS
NA NOITE CRUA
ABSORVENDO
SENSAÇÕES DOLOROSAS
NO MEIO DA RUA

LARGAR UM POEMA
AFLITO SENTIR
ABSOLUTO DESASSOSSEGO
CANSADO DE TUDO…
SEM CONTEÚDO
CONFLITO DESMEDIDO
BOCA AMORDAÇADA
GRITO INTOLERANTE
NA RAZÃO NÃO TOLERADA

LARGAR UM POEMA
PORTO VAZIO
GESTO COLÉRICO
À CATANA
NINGUÉM VIU…
ALGUÉM SENTIU

LARGAR UM POEMA
NO CRIME DESNUDADO
MORRENDO POR DENTRO
NO SENTIMENTO APAGADO
VERDADE IRRECONHECÍVEL
CORAÇÃO ASSUSTADO
O ANIMAL
PAVOROSAMENTE
DESMESURADAMENTE
DOLOROSAMENTE
DESPEDAÇADO.

11 comentários:

Ana disse...

Largar um poema é sempre largar parte de nós...
Como parir um filho, e como tu o fazes tão bem!
Bj grande e obrigada pelo presente que "largaste" para o SHE.

Mari Amorim disse...

Me reportei a minha fase de criança,quando brincava com barquinho de papel
Tenha uma semana cheia de dádivas,boas energias!
bjs,
Mari

Manuela Freitas disse...

OLá querida amiga,
Largar um poema cheio de desabafos!..Fico apreensiva!..
Tens a oferta de um selo no meu blogue, mas podes querer ou não querer, não há problema!
Beijos,
Manu

Luís Coelho disse...

Isto parece ser algo pior do que largar um poema.
Largar um poema numa noite pesada de escuro e passa-lo no fio de uma catana............

AnaMar (pseudónimo) disse...

Ainda bem que o largaste aqui.
Para eu ler. :-)

Parapeito disse...

só uma alma cheia de brisas doces...larga para os outros assim um poema.
Abraço ruim para ti nina*

AC disse...

Estava a ler o poema e, de repente, imaginei-te a dizê-lo. Começavas devagar, mas o tom e o ritmo iam aumentando, progressivamente, terminando em grande impacto.
Assim se afugentam fantasmas.

Beijo :)

Nilson Barcelli disse...

Largar um poema é um parto, umas vezes fácil, outras vezes difícil...
Mas o resultado é que conta e, no teu caso, o bebé é perfeito...
Fizeste um magnífico poema, querida amiga. Gostei.
Bom Domingo.
Beijos.

Cristina Fernandes disse...

O lugar deste poema fica guardado, nesse espaço onde a mestria das tuas palavras impera... sensações, ritmos e no final, voltei ao inicio como espiral... adorei reler, outra vez...
Beijo grande
Chris

Virgínia do Carmo disse...

às vezes é preciso largar um poema...

Beijinhos :)

quanto pesa o vento? disse...

:)
ás vezes temos de ser assim.
gostei!
abraço.