terça-feira, 12 de julho de 2011

Quando eu morrer




Quero que fiquem contentes
Quero que se embebedem
Quero gargalhadas a ecoar nos meus ouvidos
Quero que  lancem foguetes
Quero que se riam e riam mais ainda
Mais do que antes
Quero que corram para a praia
Nus e tontos e loucos
Uns a cavalgar os outros…
Amem-se muito
Amem-se todos
Sou o rei! Viva o rei!
Ordeno que se divirtam!
E a minha última vontade
Nunca exigi nada…
Porque o nada é coisa nenhuma…
E durante a temporada
Que por cá andei
Nunca  acertei o meu passo ao vosso
E a minha vida foi aquilo
Que todos viram…
Pura diversão
Sem gastar mal
Um tostão…
Comprem-me
um smoking
Não peço mais nada
Por favor
Nada de rezas
Nada de lágrimas
Nada de missas
Nada de cânticos
Nada de terços
E que as portas do Inferno
Se abram para mim…
Não, para o céu não
Não quero santidades…
Antes o pecado
Rubro
Quente
Soberbo
Alegre
Antes queimado
Bem-humorado
Sempre… até à eternidade….
P.N.
( Inspirado na conversa que tive com o rapaz  da foto que é extremamente divertido)

18 comentários:

Simone MartinS2 disse...

Boamtarde, parece que todos estamos nos encolhendo nas nossas angustias nesse inverno que mal começou nao e mesmo? E porque será? Frio, carencia, prisao no lar, falta de animo para sair e se divertir, ilusão e alusão ao lado escuro, obscuro da vida...a morte! Porque será? Talvez, porque saibamos que morrem muitos seres humanos nessa epoca, indigentes, mendingos, sofredores sem teto, uma gente sem vida a muito tempo, mas que nessa estação aparece quando morrem...Triste realidade, mas que faz parte da vida e quem sabe...da morte!

Se faz a morte,
Realidade, mata!
Ha quem suporte.

Bjin...Fique com DEUS e ame a vida sim?

valquiria disse...

Upa! por falar em etrnidade é bom saber que aqui é só um passeio, e pra lá o que levaremos? abraços, tenha um andar sem pedras.

N. Barcelli disse...

Daqui a 50 ou 60 anos falamos para reveres o teu testamento poético... se necessário...
Gostei. Continuas a surpreender-me com a tua poesia.
Beijo, querida amiga P.N.

Parapeito disse...

Gostei !!!
è a tua cara este poema...é assim que eu te "vejo" :))
Uma força da natureza...aqui e na eternidade****

Brown Eyes disse...

O quê? Quando morreres? Mulher há pessoas que nunca morrem, serão sempre lembradas, mesmo que o seu corpo já tenha desaparecido.
Que te deu para vires falar na morte?
Beijinhos

Manuela Freitas disse...

De repente ao ler o teu poema veio ao meu pensamento o Mário de Sá Carneiro...

«Quando eu morrer batam em latas,
Rompam aos saltos e aos pinotes,
Façam estalar no ar chicotes,
Chamem palhaços e acrobatas!»

Gostei muito do teu poema...o depois pode ser isso tudo, uma festa...que interessa o depois? Mas que seja uma festa de arromba...
Beijos,
Manú

Eva Gonçalves disse...

Tem piada achei exactamente o mesmo que a parapeito!! Olha, e quando eu morrer, façam o mesmo!! :))) Adorei o poema! beijo

Lua Nova disse...

Idem pra mim... acho que estranharia um pouco se fosse pro céu... rs... e, cá entre nós, bom humor é essencial!
Gostei muito daqui. Vou me aboletar.
Te convido pra tomar um chocolate quente comigo lá no meu blog, tá?
Beijokas.
Seguindo...

Sonhadora disse...

Minha querida

Gostei do teu testamento...eu também fiz um, num poema que escrevi, mas gostei mais do teu...é mais louco.

Voltando e agradecendo o carinho e apoio.

Beijinhos
Rosa

Pastelaria disse...

Olá Pedrasnuas ...

Antes de mais , parabéns pelo Blogue...as imagens ...os poemas , tudo ! Gostei do que vi

Gostaríamos muito que desse uma vista de olhos no projecto DVB, de saber a sua opinião, e qual o interesse em desenvolver o seu trabalho neste novo formato.

\"Transformamos\" os seus trabalhos (já editados em livro, ou não ...), num DVB- Digital Video Book, uma ideia original da Pastelaria Studios Productions

O projecto é recente, é uma inovação, tal como explicamos no nosso blogue:

http://pastelariaestudios.blogspot.com/

É exactamente isso, os seus poemas seriam "transformados" num DVB . Um livro que se vê como um filme ( com menu , extras, biografia, capítulos, etc... )

Não somos uma editora e prestamos essencialmente um serviço criativo.

A minha sugestão seria, enviar-nos os seus \"registos\", e nós faremos um orçamento.

Posso adiantar que, por ser um projecto novo e, embora o trabalho criativo (audio, voz, imagem, construção do DVB, etc) seja bastante, queremos chegar ao maior número de autores de obras escritas, mesmo que essas estejam (ainda...) na gaveta .

Realizamos e produzimos, também , Audio Books

Fico a aguardar uma resposta e, qualquer dúvida… estamos por aqui.

A sua opinião é muito importante para nós, pois só assim conseguiremos crescer e melhorar sempre ! e.... porque não, arriscar ?!

Sem compromisso, escolha um dos seus poemas ou textos … e nós realizamos uma pequena amostra do nosso trabalho, é um presente nosso …para si …. :)

Um grande abraço desde aqui

Teresa Maria Queiroz

pastelariaestudios@gmail.com

Lua Nova disse...

Que bom que vc foi lá no Chocolate.
Acho que vc tem razão: provavelmente seja um sapo, mas enquanto meus olhos virem um príncipe e meu coração quiser acreditar, bem, pq não? Da vida só levamos as emoções que sentimos. Que sejam boas e felizes, então...
Gosto de me sentir apaixonada pois isso me leva a dimensões e perspectivas de infinito. Eu gosto disso.
Volte sempre, moça.
Beijokas.

Mz disse...

A morte quando se espera é um querer desesperado de dor. Querndo eu a leveza a acompanhar-me, porque não dá-la aos outros. Não chorem. Não rezem. Façam-no apenas se isso vos fizer sentir bem.

bjs

N. Barcelli disse...

Querida amiga, agradeço o teu comentário de há pouco. Principalmente porque percebeste, como poucos, o verdadeiro sentido do texto.
Beijo.

Pastelaria disse...

Feito !!

:)
http://youtu.be/VDtB73EEpCM

lá no blog...
espero que goste !!

bj
Teresa

Luís Coelho disse...

Pois aquilo que agora pede não podemos fazer.
Cada um vai e na hora deixa de querer o que agora quer e sente.
Penso que podemos querer muitas coisas mas de todas a melhor é a que nos recordem por boas obras feitas e por ter vivido sem medos.
A partida será sem dúvida silenciosa e sem palmas nem lágrimas que repartam dores.

Cá para mim tanto me faz...Isso é para depois e ainda estamos no agora...Quero apenas viver as madrugadas que se repetem douradas pelo Sol, a alegria da chuva e os sorrisos dos que me acompanham na caminhada .
Quero nunca prejudicar alguém, nunca deixar de dizer as palavras mais bonitas que sei e outras que aprendi....

Beijinhos

João Costa disse...

Brilhante! Parabéns!

Me Hate disse...

Parece-me uma boa morte...

Jorge Gonçalves disse...

Ironia fina!