sábado, 6 de agosto de 2011

Já não me encantas...

Os teus lábios murcharam por falta de água dos meus. 
Os meus secaram...
e nem uma sílaba, nem uma palavra inteira
escutarás da minha boca
que não foi feita
para beijar a tua...
Recuso essa música clássica
essa prosa
leprosa
que sai da tua cabeça louca...

8 comentários:

Simone MartinS2 disse...

...e que na tua loucura, sei bem, que ainda me amas!

Deixe que esses labios continuem provando dos beijos dele...abraços

Luís Coelho disse...

Um poema de desencanto dito e repetido. Acabou....
Nem beijos, nem palavras, nem olhares cruzados neste mar de desencontros.

Sonhadora disse...

Minha querida

Como sempre escreves com os dedos da alma e com a força da tempestade.

Adorei e deixo um beijinho
Rosa

Petrus Monte Real disse...

...quando a nascente seca... é a certeza do fim que conduz à esperança de um novo princípio?!

Belo poema!

Regresso de um curto período de férias e sou surpreendido pela tua fértil veia poética que nos brinda com tão rica obra literária!
Felicito-te
Beijo

N. Barcelli disse...

Estou a gostar desta tua onda poética.
Continua...
Querida amiga, bom resto de semana.
Beijo.

Virgínia do Carmo disse...

Um desabafo tempestuoso a destapar o talento poético.

Beijinhos grandes e BOAS FÉRIAS!

Jorge Gonçalves disse...

Pois a mim...encantou-me!

Jéssica V. Amâncio disse...

"E das bocas unidas fez-se a espuma"