sábado, 31 de dezembro de 2011

Há uma pedra que geme...

Há uma pedra que geme
quando o silêncio se cala
Dedos ulcerados em neblina
embebidos num céu franjado
de agonia…
Olhos sulcados de areia fina
nau que afunda
odor a pimenta
ósculo na minha mão guardado
sabor a bruma…
oh cinza reservada…
Gaivotas suicidas esgrimem
no ponto exacto do armistício…
Sons rosa…
colinas de desejos
e o botão ?… o botão…
viçoso, límpido, tenro…
oh doce tentação…
O incêndio devora a guitarra
A noite masturba-se com volúpia
o rio desprende-se
despenha-se quente…
banha a encosta …
desemboca para lá das faluas
Junto ao cais…
Tropeça
no assalto da onda
que se arremessa contra
espelhos partidos
Melopeia de lágrimas vertidas
um choro sem  intenção
centelha de pecado original
Dedos entrelaçam
meias verdades..meios sorrisos
Bebedeiras sucumbem
a bares vulgares…
Não há fuga …
Ou se deixa empurrar com a vaga
Ou se perde o pé… na noite acesa de vultos
O desespero amordaçado…
Esconde-se nas sílabas
Que não ousa gritar…
A Madrugada cansada…
pede, roga …
para retornar a casa …
fragilizada
emotiva
fica triste e revoltada…

P.N.

9 comentários:

Sonhadora disse...

Minha querida

Por vezes é bom enlouquecer...virar a alma do avesso e deixar flutuar o corpo no outro lado da noite...seguir por estradas sem saída...por abismos sem fim.
Como sempre INTENSA...adoro ler-te.
Aproveito para desejar que 2012 seja um ano de muito amor...paz e sonhos concretizados.

Beijinhos com carinho
Sonhadora

Fê-blue bird disse...

Minha amiga um poema que li num só fôlego!
Intenso, arrebatador e triste muito triste!

Desejo-te força e ânimo para 2012!

beijinhos

Tatuagem disse...

Linda poesia!

Beijos

DelimPeixoto disse...

Acutilante e jorrado com mestria. Gostei MUITO!
Beijo

Orvalho do Céu disse...

Olá, querida
Muitas vezes somos nós as pedras que gemem...
Bjm de paz e alegria

Nilson Barcelli disse...

Magnífico poema.
Fiquei encantado com as tuas palavras.
Beijo, querida amiga.

Irene Alves disse...

Este poema é muito bom. Temos
para já em comum algumas coisas.
Gostar de poesia e do Eduardo Sá.
Vou ver se descubro esse seu artigo.
Beijinhos
Irene

Vilson disse...

Simplesmente maravilhoso. Tocante e profundo.

Parabéns e por favor continue.

Parapeito disse...

Gostei nina* gostei mto...
magoado mas belo.
brisas doces*