domingo, 15 de abril de 2012

Apeteceu-me partilhar ...:)


Vitória cerrou as pálpebras e percorreu o jardim da sua meninice. Os dedos tacteando as pétalas sedosas das flores e os troncos encarquilhados das árvores. Inspirou os aromas e mexeu os lábios saboreando-os. Abriu os braços e rodopiou, as pregas da saia curta abriram-se formando uma corola. A natureza pulsou, trespassando o corpo ainda franzino como se de um vitral se tratasse. A miscelânea de verdes, castanhos, amarelos invadiu-a e provocou-lhe vertigens. Embriagada pela voracidade do redemoinho, cambaleou estonteada com tanto brilho e cor resvalando para o chão. E assim ficou toda colada à terra, numa reciprocidade quase perfeita. Os olhos abertos esgazeados, apontados ao céu. O coração frenético arremessado a alta velocidade. Deixou-se afundar na terra molhada e fofa submergindo lentamente. As brincadeiras da garota não ultrapassavam os muros altos do jardim, temeu os castigos da mãe e respeitou os conselhos da tia.
No entanto, a curiosidade por novas brincadeiras levou-a a trepar as árvores e espreitar para o lado de fora. Depois cresceu uma vontade insuportável de saltar o muro, ela resistiu ao sabor da aventura e voltou a casa imensamente frustrada. Já fatigada por tantas tentativas goradas, um dia resolveu pôr termo aos receios. Subiu a árvore como sempre e pela primeira vez colocou o pé sobre o muro. A emoção vibrou de tal forma que a fez arrepender do passo dado, receava que o coração estilhaçasse e morresse de forma trágica, sentiu pena da avó, o desgosto matá-la-ia com certeza. Mas atreveu-se e finalmente escorregou para o exterior. Agora não sabia o que fazer, o pânico aturdiu-a. Reconheceu aquele lado da rua, já o tinha atravessado com a mãe e a tia. Julgou que a sensação de liberdade fosse outra. Aquela impressão não lhe agradou. Principiou a escalada quando subitamente uma menina se aproximou para espiá-la. Surpreendida desistiu de subir e acercou-se da outra criança. Questionou-a sobre a sua presença ali e não obteve resposta. Vitória pensou que aquele silêncio poderia ser sinónimo de conspiração. Começou a impacientar-se. Ameaçou agredi-la se abrisse a boca. De nada lhe valeram as injúrias maldosas. Vitória achou-se demasiado ansiosa e descontrolada. Por fim, a outra afastou-se e ela galgou o muro de regresso a casa.

(Excerto do romance a publicar)
Nota explicativa :(Peço imensa desculpa pelas incorreções, pois a versão colocada não é a final) Grata pela compreensão.
P.N.

21 comentários:

Eva Gonçalves disse...

:)) A publicar? :)Muito bem!! A Vitória fez-se de pequenas conquistas... gostei. Partilha mais.Beijo

Manuela Freitas disse...

Nem uma página inteira partilhás-te e no entanto eu digo-te quero ler este romance! Quero saltar este muro que deixas-te por aqui!
Beijos,
Manuela

Nilson Barcelli disse...

Tens fôlego para o romance.
A tua narrativa é deliciosa.
E imaginei que eras tu a rodopiar, a trepar a árvore e a saltar o muro...
Parabéns pelo teu talento para o romance. Por este bocadinho, dá para ver que vais publicar um excelente livro. E será uma injustiça que a 1ª edição não seja de uns 10.000 volumes. Sugiro-te que a publicação se faça lá para Outubro. No período do Natal vende-se bem...
Beijos, querida amiga.

Brown Eyes disse...

Versão a publicar? Muito bem. Beijinhos

Sonhadora disse...

Minha querida

Eu quero espreitar para lá desse muro...podes reservar já um exemplar para mim...pela amostra...promete.

Deixo um beijinho com carinho
Sonhadora

L.S. disse...

Parabéns, e agradece-se a partilha.
Ab.

AC disse...

Pedras,
Num mundo fechado como a Madeira - parto do princípio que estás a situar aí a acção - o sentimento de culpa é coisa vulgar. O busílis da questão está no ultrapassar dessa questão. Fico, pois, a aguardar o desenlace, de preferência estrebuchando fronteiras (ai, ai!).

Beijo :)

Mariazita disse...

Olá
Vim aqui por acaso, porque gostei muito de te ouvir declamando o poema da nossa amiga RosaSolidão.
E gostei muito do teu espaço.

Este excerto (de romance a publicar) que partilhas com os teus visitantes, é muito interessante. Promete...
Gostei muito, assim como de outros posts a que dei uma olhadinha...

Vou me fazer tua seguidora. Se quiseres fazer o mesmo dar-me-ãs grande prazer.

Ah! E parabéns pela forma excelente como declamaste o lindo poema da Rosinha.

Uma semana feliz. Beijinhos

helia disse...

Ao ler este excerto, fiquei muito interessada em saber a continuação!
Parabens

AnaMar (pseudónimo) disse...

Finalmente (a publicação!:-)
Há tanto que parece ser...tempo.
Beijinhos e sucesso. Nós cá o aguardamos para ler todinho:-))

Fê-blue bird disse...

Amiga, estás a a dar-nos um doce e eu quero a caixa inteira :)
Este jardim da Vitória deve estar cheio de surpresas, fico à espera!


beijinhos

rosa-branca disse...

Olá amiga, uma outra faceta que também é maravilhosa. A da escrita e pelos vistos vai para a frente. Força miúda que tens garra suficiente para avançar. Adorei, e juro que tive pena de não ter continuação. Beijos com carinho

Evanir disse...

Podemos prometer atos,
mas não podemos prometer sentimentos...
Atos são pássaros engaiolados,
sentimentos são pássaros em vôo.
(Rubem Alves)
Pedindo desculpas pelo meu afastamente
nas visitas infelizmente foram alguns dias de muita
tenssão.
Eu aprendo todos dias, me espelho em outras
pessoas: Não dá pra fraquejar, quem é guerreiro
jamais entrega a Luta..
Deus abençoe grandemente seu final de semana beijos
no seu doce coração.
Evanir..

Irene Alves disse...

Também fiquei com interesse de ler
o livro. Portanto quando tal
acontecer é só dizer.
Beijo.
Irene

Nilson Barcelli disse...

Passei para ver se tinhas publicado mais um excerto...
Querida amiga, tem um bom resto de semana.
Beijo.

Sonhadora disse...

Minha querida

Passando para deixar um beijinho e o meu carinho.

Sonhadora

Alice disse...

Aguardo o romance inteiro muito ansiosa !!!!!! parabéns !

Pearl disse...

Gostei gostei muito!

:)


beijos

Nilson Barcelli disse...

Já vi que isto está entupido... eheheh...
Beijos, querida amiga.

Mz disse...

Foi simpático da tua parte levantares a pontinha do véu do teu romance.
Deixo aqui um abraço desejando-te boas inspirações.

Muitos parabéns!
Bjs

Parapeito disse...

Gostei...desta tua partilha...
Muitos com toda a certeza tambem vão gostar
abraço*