sábado, 8 de setembro de 2012

Pleno Agosto


Chove … o para-brisas
pestaneja
uma dor de cão …intensa
esbraveja
O mar é imenso
Sem caravela , sem glória
Nu, despido …avança sozinho
Tarde adentro
O aguaceiro aperta o passo
As pupilas correm
céu fora…
O firmamento é denso
Escuro
Desbotado
Sem futuro…
Sem resposta
A dor estende-se
Estica-se
Devasta …
Apetece ser mau…
Ser cru
Bater no cimento
Dar murros
Furar a parede
Ir rio abaixo
e....
perder o  medo.
PN