domingo, 26 de janeiro de 2014

Que realidade....

Dói-me ver os filhos da pobreza 
de mão estendida;
rotos, esfarrapados...
barriga vazia
E, cada vez mais a inimiga riqueza 
os deixa literalmente deformados.

PN

2 comentários:

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Minha querida

São os filhos da miséria...os deserdados da sorte e infelizmente não vejo os senhores do mundo fazerem alguma coisa por eles.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

Orvalho do Céu disse...

Olá, querida
Estamos rodeados de feras... o jeito é ir driblando e contornando os acontecimentos do cotidiano...
As pessoas não mudam somos nós que devemos ser transformação...
O seu estilo poético é forte... parabéns!!
Bjm fraterno