sábado, 25 de abril de 2015

Abril, que seja um peixe fresco, bem fresco a saltar da rede para o mar!


No fundo, no mais fundo 
nas entranhas do funil 
há uma boca altifalante
que anuncia o fim do mundo


No fundo, no mais fundo
dos dias coxos e curtos
há uma boca altifalante
que morde o apocalíptico surto


No fundo, no mais fundo
do roubo sem piedade e sem dó
há uma boca altifalante 
que conhece um povo que morde o pó


No fundo, no mais fundo
a matança já começou
há uma boca altifalante
a dizer que muito sangue jorrou!!!

                                                 PN

2 comentários:

Santa Cruz disse...

Pedras Nuas: Gostei de ler lindo poema.
Beijos
Santa Cruz

Delfim Peixoto disse...

Amei! Palavras de quem sente e vive acordada!
Bj