domingo, 10 de maio de 2015

No_Masculino











Foram dias de demora
puxados num ápice
Línguas trocadas
roçadas
Saliva de uivos
salpicadas de ternura...
Noite adentro
corpos orvalhados
paisagem serena
amena de Verão
aconchego do abraço
terno sossego
A lua acende ...
e o desejo roça
acorda
a água mansa
rola na areia fina
num burburinho
inaudível
Solta-se o soluço
e o caudal
transborda…
O turbilhão resvala
e a pressa da ânsia
arrasta os poros,
desprende-se
do leito
e cavalga frenética!
A tua boca gulosa
provoca
sequiosa
fogosa...
O incêndio aviva-se
O quarto é pequeno
a vontade não cabe
na cama
É urgente ir mais longe
trepar paredes
cadeiras
mesas…
sem pudor
sem receio
sem medo
de sentir...
Respirar sofregamente
em perfeito movimento
ora louco
ora rouco
arquejante
o momento...
Gemido dorido
Soluço abafado
convulsão
espasmo...
O fluído impaciente
desemboca
na tua boca...
PN
(Reedição)

Sem comentários: