terça-feira, 29 de março de 2016

A ENTREVISTA II

    " E quanto às eleições nos EUA?"

    " É tão inacreditável…há coisas …Só de pensar neste nome; Donald Trump, só de pensar que pode ser uma solução…porque quem está à frente dos Estados Unidos, está também muito à frente de grande parte do que se passa no mundo. Não sei se o mundo inteiro não deveria ter voto a dar nas eleições norte americanas, porque de facto o impacto que tem é brutal. 

E o que o Donald Trump tem dito publicamente e aplaudido publicamente por milhares de pessoas, é criminoso. É francamente pouco inteligente, é de uma feira, estão todas as pessoas lá, e, como nós sabemos a multidão entusiasma-se duma maneira animal, aí sim, ele consegue isso nas pessoas, ele diz uma alarvidade qualquer, e toda a gente repete. É onomatopeico. Andamos todos a dizer; Temos que deitar abaixo muralhas, deitar abaixo muros e construir pontes. E, há um homem que aparece com uma imensa multidão à volta, a dizer; “Nós vamos construir uma muralha melhor que a dos outros, paga pelos mexicanos” … é tudo extraordinariamente absurdo, lado a lado com uma figura que de facto nos veio devolver, independentemente da religião, uma confiança no futuro e uma esperança na hipótese de se tomarem decisões, de se darem passos, que é o Papa Francisco. Não tem que ser cristão para acreditar neste nome, no sentido de; É um homem com uma coragem enorme. É um homem que veio da rua, da calha, trabalhou nas ruas argentinas, nas paróquias, com as suas pessoas, de acordo com a sua fé, mas trabalhou essencialmente num projecto que julgo social, um projecto para reconstruir comunidades, quebrar ciclos de exclusão e pobreza e isso é tudo o que nós queremos. É um homem do bem. E, teve essa nova coragem, aí sim, perante a igreja católica é redobrada, de começar já há uns tempos, não foi agora esta declaração, tem vindo a aceitar, a acolher;

 Vamos todos para dentro desta casa, que eu digo que é do Pai, vamos todos para este colo, que eu digo que é o da nossa comunidade. Eu, Papa, e começou a aceitar; mas as mães solteiras, mas os divorciados, mas os homossexuais…Nenhuma cultura muda com facilidade, fala sobre o preservativo, fala sobre as freiras que trabalham em zonas de crise. Começa a desmistificar uma ferramenta de saúde pública que foi ensinada nas escolas, no mundo ocidental como é fundamental prevenir, é fundamental prevenir as doenças. Obviamente que falamos em escola primária, não estamos à espera que as crianças comecem a ter uma vida sexual activa, mas a vida sexual existe desde que nós nascemos, vida sexual não quer dizer, sexo à brava.

 É fundamental ter um homem com esse poder, vestido de branco,e, poder de influência, poder de catarse, de convencer as pessoas a pensar, que diga, mesmo os que são mais fundamentalistas e são contra mim, sou eu que estou a dizer isto, punham-se lá a pensar, punham lá aí uma reserva na vossa firmeza e no vosso conservadorismo. Na verdade está a ir além do que lhe é permitido, e, onde é que esta escrito o que é que lhe está permitido? Teoricamente a igreja católica é seguidora de um homem que não estava representado em lado nenhum até aparecer. Como todos os outros grandes homens da história." 
Drª M.P.C.
(Cont)
Fotos:NET


Sem comentários: