domingo, 10 de abril de 2016

Alinhavo sobre o joelho

                            
                                                                                                              Imagem- NET

Trata-se do meu comentário  a um  programa "Prós e Contra", colocado no Facebook, já há algum tempo.  

     O tema é mesmo muito complexo e por ser embaraçoso merece uma reflexão profunda e séria. Não entendo como é que se consegue tomar logo partido. As pessoas aqui funcionam muito em manada, uma histeria colectiva. Hoje, não se gosta de pensar, de reflectir, de repensar. Há muita pressa em decidir, em mostrar que entendemos de todos os assuntos, que não temos dúvidas sobre questões pertinentes e difíceis, e a pressa de expor o pensamento, ser mais rápido que o pensamento do outro. É a competição desenfreada da vida real, depois enxovalham-se uns aos outros, espicaçam-se, roçam a má educação… descarrega-se a raiva…Eu continuo sem certezas de coisa nenhuma. Os argumentos religiosos, éticos, políticos e sociais têm perspectivas diferentes do tema em questão. Eu ainda não sei… Gostei do programa, compreendi alguns pontos de vista e subscrevo. Eutanásia passiva, eutanásia activa, suicídio assistido… com algumas diferenças mas desemboca na tal rua… Depois do programa dei comigo a pensar… Quando se nasce, chora-se, ninguém impede um bebé de chorar… afinal ele vem de um mundo para outro! É um drama, tal como a partida, é outro drama. A nossa vida está cheia de pequenos, grandes dramas! O sofrimento faz parte da vida! Crescemos com ele, amadurecemos com ele! E quem não quer sofrer, desengane-se. Ouvi falar de boa morte. E o que é uma boa morte? Alguns entendem que a eutanásia é uma boa morte porque retira o a dor ao ser humano. Vamos recuar, ao tempo de Jesus Cristo! Só para estabelecermos um  confronto!  Jesus Cristo, morreu na Cruz, o Filho de Deus podia ter tido uma boa morte, podia ter fugido; “ Afasta de mim este cálice, Pai!”. Também vacilou perante a agonia da morte! Mas, atenção, “ Seja feita a Vontade de Meu Pai e não a minha”.


O que se passa com a sociedade de hoje, antecipar a morte para não sofrer? E alguém regressou da morte para nos contar se gostou que tivesse sido assim? E se sentiu arrependimento? E o estado de coma é bom ou mau? E quem disse que morrer com dignidade é através da eutanásia? Eu apostaria mais na qualidade dos cuidados paliativos. Também se disse e bem que ser deficiente não é um peso, que ser paraplégico não é sinónimo de incómodo ou fardo. O problema é que as pessoas estão cada vez mais sós! muitas morrem sozinhas, são encontradas mortas! Nos hospitais, nos lares, já se pratica uma espécie de eutanásia, todos conhecemos de casos, alguns bem gritantes. E se estamos a confundir liberdade de decidir sobre a vida, com depressão? Então o homem já é senhor de comandar o desfecho da sua própria vida? Morre quando sente que a vida não faz sentido? Fiquei em estado de choque quando ouvi que na Bélgica morrem 3 mil pessoas por ano, por eutanásia?! O que é isto?! 3% por depressão, 13 % recorrem à eutanásia e não se encontravam em fase terminal?! E o ritmo tem acelerado! Querem legalizar? Para quê? Já existem tantos suicídios! Ou é só para lavar a consciência de que é medicamente assistido?... 
                                                                                                                                                     PN

1 comentário:

Jaime Portela disse...

O assunto é bem complexo.
Eu não tenho opinião, mas gostei de ler a tua.
Boa semana, querida amiga PN.
Beijo.