sábado, 18 de fevereiro de 2017

Tem pertinência

"Que autoridade moral tem a Europa para criticar Trump, se tem os refugiados amontoados e espalhados em tendas, a sofrerem com a falta de tudo, a morrerem de frio e não sabemos se de fome, a suicidarem-se desesperados, a darem à luz nas condições mais desumanas, e se não fossem os voluntários, que pouco melhor vivem do que eles, (mas se querem viver num apartamento, sem nada, com uns colchõezitos no chão, onde dormem, tem de o pagar) não imaginamos como seria. Eles, estes nossos irmãos, são pessoas, porque se fossem animais, já alguém se teria levantado, para reclamar os seus direitos! Porque razão não são assistidos pelo menos com os bens essênciais, e com pessoal capacitado e pago pela UE? Há campos de refugiados, onde tudo é desenrascado, pela caridade de Pessoas com letra maiúscula que, estes sim, não levantam muros, mas constroem pontes, levando amor, carinho e serviço. Quando a água congela nos canos e estes rebentam, são os voluntários quem socorrem. Quando a energia se vai abaixo com a sobre carga, são os voluntários que concertam, etc. É a caridade humana que está a desenrascar aquilo que a UE devia fazer com os fundos europeus existentes para isso. Tanto se luta para se fazer justiça a umas coisas, e está certo, mas porque outras tão importantes tão depressa são esquecidas? Porquê que as televisões não vão fazer uma reportagem a sério para mostrar à UE e ao mundo como eles vivem?"

Encontrei por aí...

1 comentário:

Manuel Luis disse...

Fui refugiado durante tres meses e sei do que falas. Por acaso não passei fome, fui bem recebido pela África do Sul.
São sinais do tempo!
Bjs