sábado, 27 de maio de 2017

“Salete do céu”



Foto :NET

A chave roda na fechadura. A porta abre-se:
- Salete, minha querida Salete!
- A recém chegada baixa-se e toma o rosto da velha senhora nas mãos:
- Bom dia, D.Teresa, com paz e alegria!
Abraçam-se, Salete senta-se a seu lado e pergunta-lhe pela noite, pelo sono e depois lá ficam ambas a conferenciar, numa lógica que só as duas sabem decifrar; sorrisos, risos, gargalhadas; imensa cumplicidade.
A mais jovem levanta-se calmamente e vai preparar o banho da idosa senhora. Lá dentro, tudo igual; conversas muito divertidas.
Após o pequeno almoço, a senhora pede:
- Salete, leve-me lá fora se faz favor!
- Com certeza D. Teresa! Segure o meu braço!
Cá fora, o dia esplendoroso, o casario estendido, não rouba a visão ao cais, como pano de fundo, barcos, navios, céu e mar… a senhora idosa aperta a mão da mais jovem. Entreolham-se com extremosa simpatia:
- Nunca me deixe, Salete! Se me deixa, eu morro!
- Jamais vou abandoná-la!  é uma mãe para mim! Não se fala em morrer, diante desta beleza toda, concentre-se  na vida!
- Tem razão! a Salete é como uma filha para mim. Uma filha dedicada! Vamos regar as minhas flores?
- Com certeza, eu ajudo! - assim é, um bocadinho de água dentro do regador, Teresa vai matando a sede às rosas e azáleas que tanto estima. No fim, satisfeita da tarefa cumprida, entrega o regador nas mãos da outra mulher, que vai imediatamente colocá-lo no sítio habitual; enfrentam-se e entrelaçam-se novamente por entre risos engraçados.
- Linda manhã de sol! Rica coisa. - ergue o rosto ainda formoso, apesar da idade avançada e exclama com vivacidade: - Salete do céu!
A outra não se contém e remata, muito efusiva:
- Só a D. Teresa para me fazer rir!
De mão dada, numa dedicação amorosa, muito lentamente, entram as duas dentro de casa.

PN

2 comentários:

Existe Sempre Um Lugar disse...

Olá, a D. Teresa e a Salete sabem como devem manter e consolidar amizade pura, não para todos.
AG

Petrus Monte Real disse...

Pedrasnuas,

Bonita aventura.
Penso sempre que aprendemos com os mais velhos.
Qualquer iniciativa à sua volta
é gratificante e enriquecedora.

Neste belo fim de tarde,
o sol quase a esconder-se,
lembro os meus velhos,
principalmente aqueles que já não vejo...
há uma eternidade!
Um beijo.