sexta-feira, 29 de junho de 2018

Recomeço...


O vento arrepia o bailado marítimo
e as saias das ondas sobem
com  pudor de meninas…
Não tarda nada, há-de vir por terra,
por certo, passará por mim em redemoinhos;
já o sinto  com mais força;
para enovelar os meus cabelos
e levar com ele a minha boca
e num sopro mais severo,
os olhos seguirão…
Meu corpo há-de balançar oscilante;
mastro de embarcação por gostar
e minha boca sequiosa, buscará a tua
que anda distante, distante da minha,
beijando outras bocas ao deus dará …
Olhos e lábios farão pacto; separar-se,
cada um seguir sua jornada e no fim encontrar-se.
O vento correrá planícies, subirá montanhas agrestes
de várias estações, hesitará diante de campos abertos,
Há-de parar em abismos a pique antes de se despenhar.
e amenizar no fim da Primavera, para à beira mar, descansar …
e ali, depositará na areia a boca de pó e olhos ladrilhos sem brilhos.
Olhos e boca estremecerão por se verem lado a lado:
- Então boca, tiveste sorte?
- Não, não beijei a que boca que pretendia… nem outra mais desejada.
- Nem eu vi os tais olhos especiais que fariam cerrar os meus de emoção.
- Cobri-me de pó, o tempo tirou-me a cor, o viço, a carne fresca, fiquei mais fina,
Não pareço a mesma
- E eu perdi quase toda a visão de tanto avistar horizontes sem ninguém,
a retina já não vai lá… e a minha íris descolorada, arco senil, embaciou-se   … A fazer? Nada.
- Então anuncias a tua retirada?
Os olhos sorridentes:
- Não sei. Pior é abater-se para um canto, não é?
Os lábios sábios:
- E um recomeço ?Vamos onde pudermos!
Quero seguir, devagar, saborear o que o tempo
não me deu tempo de viver ou eu atravessei apressada
ou fiquei distraída e manietada e não notei o impiedoso passar…
Os olhos animaram-se :
- Então é isso, um  recomeço?  

PN   




 Monet. Senhora, guarda-chuva

3 comentários:

Fá menor disse...

Texto muito bonito!
Temos de recomeçar tantas vezes e sempre sem desfalecer, por mais que o vento nos fustigue agreste.

Beijinhos.

Jaime Portela disse...

Bater em retirada? Nunca...
Porque nunca é tarde para um recomeço.
Os meus aplausos por tão brilhante poema. Parabéns.
Amiga PN, continuação de boa semana.
Beijo.

Ana Freire disse...

O tempo... e os seus segredos... e do qual só se pode apreciar ao máximo... quando nos aprendemos a desprender do passado... e da incerteza do futuro... para estar mesmo presentes, de corpo e alma... em cada momento!...
E só vivendo no presente... sempre estaremos a postos, e prontos, para qualquer recomeço...
Adorei descobrir este seu talento poético, PN!
Beijinho
Ana